Mensagens mostram que procuradores ironizaram morte de Marisa e luto de Lula

Com informações do BN

Novas mensagens divulgadas pelo Uol, em parceria com The Intercept Brasil, mostram que integrantes da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba ironizaram a morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia e o luto do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Um amigo de um amigo de uma prima disse que Marisa chegou ao atendimento sem resposta, como vegetal”, afirmou Deltan Dallagnol. “Quem for para a próxima audiência do Lula, é bom que vá com uma dose extra de paciência para a sessão de vitimização”, escreveu a procuradora Laura Tessler no chat.

“Só falta dizer que a Lava Jato implantou 10 anos atrás um aneurisma na cabeça da mulher… milhares de pessoas morrem de AVC no mundo… isso faz parte do mundo real e ponto”, acrescentou Laura. A morte do irmão de Lula, Vavá, também foi comentada.

No chat, Antônio Carlos Welter concorda com a Polícia Federal, que disse não ter condições de atender ao pedido de Lula para ir ao enterro. Welter disse acreditar, no entanto, que o ex-presidente tinha o direito de ir ao enterro do irmão. “Eu acho que ele tem direito a ir. Mas não tem como”. Januário Paludo responde: “O safado só queria passear e o Welter com pena”.

Laura Tessler comenta: “O foco tá em Brumadinho… logo passa… muito mimimi”. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, permitiu contudo que Lula fosse levado a São Paulo e se encontrasse com familiares em unidade militar da região. A decisão foi publicada no momento em que Vavá estava sendo sepultado em São Bernardo do Campo, e Lula acabou não deixando a carceragem da PF.

Comentários

comentários