MP denuncia policiais envolvidos em caso de racismo em agência

O Ministério Público estadual denunciou os três policiais militares envolvidos no caso de injúria racial contra o empresário Crispim Terral de Souza, numa agência da Caixa Econômica Federal, no mês de fevereiro deste ano, em Salvador. A denúncia do promotor de Justiça Maurício Cerqueira Lima foi oferecida na última terça-feira (5). O MP já havia denunciado o gerente-geral da agência da Caixa, João Paulo Vieira Barreto, que foi afastado das funções no banco. Paulo Guedes Clementino, Reinaldo Rodrigues Oliveira, Roque da Silva e Rafael Valverde Nolasco são acusados de abuso de autoridade e constrangimento ilegal.

No dia 19 de fevereiro, Crispim foi à agência da Caixa, na Avenida Sete de Setembro para solucionar questões financeiras pessoais. De acordo com a denúncia, durante o atendimento “houve desavenças” e Crispim, que não teve sua demanda atendida, não saiu da agência, mesmo após o fim do expediente, o que levou o gerente a convocar o 18º Batalhão e uma guarnição da PM. Como Crispim não aceitava deixar a agência, “os policiais usaram a força, tentando segurá-lo pelo braço e aplicando um golpe conhecido como ‘mata-leão’, lançando Crispim ao chão na presença de funcionários, clientes e da sua filha de 15 anos”.

Comentários

comentários