Aluno de biologia faz sucesso ao explicar matéria usando desenhos

A linguagem das postagens é simples e os assuntos atrativos e inusitados. Escolas e professores podem contratar palestras on-line com conteúdos exclusivos

O graduando de biologia Carlos Stênio, 24 anos, ensina gratuitamente diversos conteúdos usando desenhos. Em sua página no Instagram, no Facebook e no YouTube Carlos explica a parte biológica de filmes de animação. O projeto é voltado para jovens que ainda não concluíram o ensino médio, a linguagem é simples e fácil de ser compreendida. Os assuntos são sempre interessantes e atraente aos jovens, um dos objetivos é ajudar alunos que irão prestar vestibular, mas tiveram as aulas interrompidas por conta da pandemia.

Stênio está no último período da faculdade de biologia e, além dos conteúdos gratuitos nas redes sociais, ele também realiza palestras on-line. As aulas são para três níveis diferentes, ensino fundamental, ensino médio e universitário, o assunto e a linguagem de cada encontro são planejados de acordo com o público. Quando a apresentação é voltada para crianças, Carlos mostra como personagens de animações são na vida real. Para adolescentes que irão prestar vestibular, ele entra em maiores detalhes explicando mais o assunto. Se a palestra é para graduandos, a linguagem é técnica e as explicações mais minuciosas.

O projeto surgiu em 2018 quando Carlos estava no terceiro período da faculdade e uma professora passou um trabalho com tema livre. “Convenci meu grupo a fazer um trabalho sobre o Bob Esponja, para a gente mostrar como eles seriam na vida real, de uma forma mais científica, todo mundo aceitou de primeira.” O estudante contou que a docente que solicitou a atividade estranhou o interesse em apresentar algo sobre desenho infantil, mas depois acatou a ideia.

A inspiração veio de outros conteúdos sobre Bob Esponja que já existiam na internet. É importante lembrar que o criador do desenho, Stephen Hillenburg, estudou biologia marinha. O projeto foi crescendo e Stênio começou a utilizar novos filmes, animações e até mesmo séries para ensinar biologia, mostrando que ela está em tudo e que se pode aprender de maneira divertida e descontraída.

O formando, que vive em Guarulhos, já dava aulas em algumas escolas e desenvolveu o projeto de biologia aplicada em desenhos sobre temas cobrados no Enem. A atividade cresceu e as escolas começaram a procurá-lo por conta de um post que explicava o coronavírus de maneira simples, com linguagem que crianças pudessem entender. Professores que já acompanhavam as redes sociais do estudante também passaram a buscá-lo para realizar apresentações. As palestras começaram há cerca de um mês e ocorrem de maneira remota. Inicialmente, Carlos abriu seis vagas para palestras que se esgotaram em três horas, diante da grande procura disponibilizou mais nove, que foram preenchidas em menos de um dia. Agora, ele oferece as vagas mensalmente e pode atender todos os estados do país.

Atualmente, Stênio conta com mais de 30 mil seguidores no Instagram, onde posta semanalmente conteúdos inéditos. Graças à dedicação ao Biologia Aplicada o estudante disponibiliza conteúdos exclusivos para diversas páginas na internet, até mesmo para o Greenpeace.A professora Amanda Moreira Lopes, 32, estava trabalhando biodiversidade com os alunos do 7º ano quando sua irmã compartilhou o perfil do Biologia Aplicada. Amanda se inspirou no conteúdo disponibilizado no Instagram e decidiu abordar o tema da aula usando filmes de animação. A professora também convidou Carlos para realizar uma palestra, “Como ele fez algumas postagens sobre a era do gelo e eu estava trabalhando com meus alunos as grandes extinções, entrei em contato com ele para saber se teria disponibilidade de participar de uma das minhas aulas e falar sobre as extinções.”

Os alunos deram retorno positivo sobre a palestra. Stênio explicou sobre o surgimento do projeto e depois falou sobre o tema proposto pela professsora Amanda, sempre relacionando com conhecimentos científicos. O palestrante utilizou linguagem adequada à idade dos alunos e ainda foi atencioso ao atender todas as dúvidas e curiosidades que surgiram ao longo de quase uma hora de aula.

Fonte: Eu Estudante

Comentários

comentários