Casa da Vó: Natal é marcado por produção autêntica que valoriza população negra

Foto: Júlio César

O ano de 2020 está quase se despedindo, o mês de dezembro encaminha-se para seus últimos dias, que para muitos será um alívio, pois este ciclo de 12 meses foi marcado por algo que, certamente, não estava nos planos de ninguém, a pandemia foi um “tapa na cara” da população mundial. Mas, o Natal de 2020 também será marcado por algo muito bom, principalmente, no ponto de vista cultural, a “Casa da Vó” é uma série de TV com atores e direção de pessoas negras, com humor ácido e inteligente sobre questões raciais.

Um dos profissionais envolvidos, o roteirista Allex Miranda destaca a importância da inciativa, especialmente, para o empoderamento da população negra, que segundo os últimos levantamentos, no Brasil representa 56% de população. A estreia da série será nesta sexta-feira (25), na plataforma de streaming Wolo TV e também na emissora de canal aberto TVE Bahia, a partir das 19h. O público poderá ver a atuação da artista baiana Margareth Menezes como protagonista.

O criador da iniciativa Licínio Januário em parceria com Leandro Lemos considera a Wolo TV como uma startup de tecnologia e plataforma de streaming. A Wolo TV tem como objetivo ser uma plataforma de streaming com a “cara do Brasil”. O país tem a maior população negra fora da África, entretanto, a comunidade negra ainda é sub-representada pela mídia brasileira.

Para Leandro Lemos, CTO da Wolo TV: “A população negra consome em média R﹩ 1.7 trilhões por ano, mas ainda não vemos séries de TV que mostram famílias negras em posição de sucesso. É por isso que decidimos desenvolver um conteúdo audiovisual inovador e de alta qualidade que nos represente como população negra”, ressalta.

Casa da Vó – Margareth é Teresa, personagem central do sitcom “Casa da vó”. Com cinco episódios de meia hora cada, rodados em São Paulo durante a pandemia, a produção entra no ar em 25 de dezembro. Seu lançamento marca ainda a estreia da Wolo TV, plataforma de streaming brasileira com foco na população negra. Noventa e nove por cento da equipe (cerca de 60 profissionais), na frente e atrás das câmeras, é negra.

Allex Miranda – Nascido em Nazaré, Bahia, o ator de nacionalidade brasileira com ascendência angolana e indígena, iniciou a sua formação teatral no ano de 2000, na ilha de Mar Grande (Vera Cruz – BA). Mestrado em Direção pela Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo – ESMAE (Porto – Portugal) e Licenciado em Interpretação pela mesma instituição, realizou no Brasil diversas montagens teatrais como diretor e ator, no estado da Bahia.

Desde 2008 colabora em Portugal com os seus préstimos artísticos para as companhias de teatro: Cia de Theatro de Braga (Braga-PT); A Escola da Noite (Coimbra-PT); Produções Suplementares (Porto-PT); O Ponto Teatro (Porto-PT); ViVonstage (Porto-PT); AM Live Produções (Porto-PT); Narrativensaio (Porto-PT) e Méritus-K (Braga-PT), onde teve a oportunidade de trabalhar com grandes profissionais do panorama teatral português. Seu vasto currículo, Allex Miranda, contempla mais uma série de trabalhos e produções renomadas.

 

Fonte:Tat Macedo/Política Bahia

Comentários

comentários