Neto cobra que Ford ‘passe por um grande constrangimento’ após fechamento de fábrica na Bahia

Ex-prefeito disse que, se fosse o governador, teria usado os meios jurídicos disponíveis para responsabilizar a empresa

Ex-prefeito de Salvador e atual presidente do DEM, ACM Neto defendeu uma ação dura contra a Ford, que decidiu fechar as fábricas no Brasil, uma delas em Camaçari, na Bahia. Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, o democrata ressaltou que não se deve aliviar a barra da montadora. “Tem que ir do constrangimento à avaliação das possibilidades jurídicas”, diz, ao comentar a possibilidade de pedido de indenização.

O ex-prefeito soteropolitano é neto do falecido senador e ex-governador da Bahia, Antônio Carlos Magalhães, que travou uma disputa política e econômica para que a Ford desistisse de instalar uma fábrica no Rio Grande do Sul para vir para a Bahia, durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

A iniciativa contou com uma série de benefícios fiscais, como redução de impostos estaduais e também federais. “Não é possível deixar a Ford sair daqui sem que passe por um grande constrangimento. Sem que isso signifique um problema sério para a imagem dela no País”, disse Neto.

“Do ponto de vista dos compromissos que a Ford assumiu com a Bahia, não conheço em detalhes a questão dos prazos para dizer se há ou não rompimento de contratos firmados. Mas eu se fosse o governador teria usado os meios jurídicos, que tivessem ao meu alcance, se for o caso, responsabilizar sim a empresa”, acrescentou o democrata.

 

Foto: Reprodução

Fonte: Metro 1

Comentários

comentários