‘Se não houver colaboração, teremos que fechar tudo’, diz Rui Costa sobre aglomerações

Reprodução: Correio*

O governador Rui Costa afirmou que o estado pode impor medidas ainda mais duras do que o toque de recolher, caso a população continue desrespeitando as regras de distanciamento social. “Se não houver respeito, se não houver colaboração, terá que ser como Araraquara e fechar absolutamente tudo”, afirmou o governador, fazendo referência à cidade paulista que fechou toda a cidade por 60 horas, devido ao avanço da pandemia.

Durante entrevista à TV Bahia nesta segunda-feira (22), o governador criticou as aglomerações que aconteceram no final de semana. “Não há como permitir que as pessoas tenham esse comportamento indiferente à vida humana. Temos mais de 60 mortes por dia na Bahia, não há como compreender comportamnetos como esse. Se continuarmos assim [taxa alta de ocupação de leitos], as pessoas vão morrer sem nenhuma assistencia médica”, afirmou Rui.

Ele afirmou ainda que o toque de recolher é uma medida mais branda, também para reduzir os impactos econômicos. “O que nós estamos fazendo é ir progressivamente para ver se colhemos os resultados. A partir das 20h, a atividade econômica é bastante reduzida, o alcance maior dessa medida é para os locais que geram aglomeração com pessoas consumindo bebidas alcóolicas”, explicou.

Ainda de acordo com Rui, desde o fim de semana o sistema de saúde está com a ocupação acima dos 80%. “Conversei com a subsecretária de Saúde e ela me disse: ‘ultrapassamos 80% de ocupação e todas as vagas existentes foram reguladas, todas já estão ocupadas, não estão fisicamente, mas se considerar a regulação, estão todos estão ocupados nesse momento’. Então, nós antecipamos o toque de recolher”, contou o governador, sobre a antecipação do horário do toque de recolher, que vale a partir de hoje.

Comentários

comentários