Vulcão que pode causar tsunami no Brasil entra em alerta para erupção

Uma possível erupção do vulcão Cumbre Veiga, localizado no continente africano, está deixando vários países em alerta. Após décadas sem mostrar atividades, a estrutura passou a dar sinais moderados nos últimos dias e uma possível explosão pode causar, além de danos à região próxima, um tsunami capaz de atingir parte da Europa e países da américa, inclusive o Brasil.

A informação foi revelada pela MetSul após informações das autoridades da Espanha, que elevaram o nível de alerta para amarelo, segundo o portal UOL, que confirmou a veracidade. Segundo o site, o vulcão, que fica na ilha de La Palma, na costa da África, chegou ao nível dois entre quatro tipos de alertas.

Em caso de erupção, existe uma pequena chance, segundo pesquisas, de que ocorram tsunamis, que poderiam atingir os Estados do Norte e Nordeste do Brasil, além de quase todos os países banhados pelo Atlântico. Não há informações de impactos no Sudeste e Sul.

Por anos, o efeito desse vulcão é estudado pela ciência e já é classificado por alguns como um possível causador do apocalipse. Segundo informações do portal MetSul Meteorologia, o aumento no nível de alerta é preocupante, pois a erupção desse vulcão representa ameaça para a costa do Brasil. Um dos cenários hipotéticos em caso de grande erupção e colapso do vulcão Cumbre Vieja é um grande tsunami que afetaria todas as áreas costeiras banhadas pelo Oceano Atlântico, o que inclui todo o litoral do Brasil, do Rio Grande do Sul ao Amapá.

que afetaria todas as áreas costeiras banhadas pelo Oceano Atlântico, o que inclui todo o litoral do Brasil, do Rio Grande do Sul ao Amapá. Em trabalho publicado pela Universidade Federal do Paraná, o pesquisador Mauro Gustavo Reese Filho observa que o Oceano Atlântico não é famoso pela sua capacidade de gerar tsunamis, mas que o vulcão ativo Cumbre Vieja poderia ser o agente responsável por um evento desta natureza na região. Segundo o pesquisador, a estimativa é que uma próxima erupção poderia desestabilizar a encosta da ilha e gerar um tsunami que percorreria distâncias transatlânticas e que atingiria o praticamente todos os países banhados pelo Oceano Atlântico.

“A partir da modelagem de tal evento, obteve-se a informação que toda a costa brasileira será afetada. A possibilidade de ocorrência deste evento por si só deveria ser razão para a prevenção de todo os tipos de danos na costa brasileira, porém até o momento nada foi feito. A falta de informação é a principal causadora deste problema, pois inclusive no meio geológico muitas pessoas não sabem sobre tal fato”, pondera o autor.

“Toda a população costeira deve ser conscientizada, em especial do Norte e Nordeste do Brasil, pois seriam os principais afetados, e assim evitaríamos s danos pessoais. Estudos mais recentes dizem que as chances de ocorrência são remotas e longínquas, no entanto, o estabelecimento de sistemas de alarme que possibilitam a evacuação de áreas é justificável quando se trata de vidas humanas”, advertiu Resse em seu trabalho.

 

 

 

Gazeta

Comentários

comentários