Bolsonaro inaugura obra hídrica em Pernambuco que ainda não pode distribuir água

O presidente Jair Bolsonaro vai partitura nesta quinta-feira (21) da cerimônia de inauguração do Ramal do Agreste na cidade de Sertânia, em Pernambuco, mas não funcionará logo após o evento.

O Ramal do Agreste não começará a cumprir a sua função de levar água às casas de mais de 2 milhões de pessoas em 68 cidades da região com mais escassez hídrica do estado após a inauguração feita por Bolsonaro.

Para entrar em funcionamento, o Ramal depende da conclusão das obras da Adutora do Agreste, que, de acordo com a gestão Paulo Câmara (PSB-PE), só não foram finalizadas ainda porque o próprio presidente da República vetou, em abril, o envio de R$ 161 milhões previstos para isso.

Marcado para as 13h40, a cerimônia faz parte do que foi batizado de Jornada das Águas pelo governo federal, uma série de viagens do presidente e de ministros para anunciar ou inaugurar obras hídricas em dez estados.

Enquanto a conexão com o complexo da adutora não for concluída, o ramal inaugurado não cumprirá seu papel.

“Em todo o ano de 2021, nenhum único centavo foi repassado ao Governo de Pernambuco para o andamento das adutoras”, diz a administração estadual, em nota.

Comentários

comentários