“O Ibope deveria ser processado porque é um instituto desmoralizado”, afirma deputada

Reeleita com mais de 40 mil votos, a deputada estadual Luiza Maia (PT) foi a entrevistada de hoje (21) do programa Baiana Livre. Na entrevista, a parlamentar criticou os institutos de pesquisa que mais uma vez erraram nas intenções de votos para o governo do estado. “Se eu fosse candidata, processaria o Ibope. A pesquisa deveria ser para o consumo interno, mas usar isso para alterou e manipular a realidade do eleitor é uma vergonha. O Ibope deveria ser processado porque é um instituto desmoralizado”, criticou.

Voto Aberto

Durante a entrevista, Luiza Maia saiu em defesa do projeto de lei do voto aberto nas sessões da Assembleia Legislativa. “Todas as votações são secretas. Eu não consigo entender isso. Sou representante da minha sociedade e vou dar as costas para o eleitor votando tudo secretamente? Apresentei duas vezes e está tramitando, mas não consegue sair da Comissão de Justiça. Isso é uma distorção e incentiva a corrupção”, disse.

Sobre as eleições para a presidência da Casa a deputada comentou da candidatura do deputado Marcelo Nilo (PDT) que está no quarto mandato consecutivo como presidente. Além dele, o deputado Pastor Sargento Isidório (PSC) já manifestou o interesse de concorrer nas eleições internas. “Ele faz as articulações dele na casa e consegue ter os votos. O processo é democrático, porque ninguém obriga votar nele. Mas ele tem suas formas de ganhar”, afirmou.

Prefeitura

Questionada sobre uma possível candidatura para a Prefeitura de Camaçari, Luiza Maia desconversou. O prefeito Ademar Delgado (PT) assumiu a prefeitura em janeiro de 2013, sucedendo o ex-prefeito e deputado federal eleito, Luiz Caetano (PT). “O prefeito que está é do nosso projeto. Temos algumas divergências na forma que ele está conduzindo. Ele está com dificuldades com alguns secretários, mas a gente está dialogando com ele. Qualquer tarefa que o grupo político me colocar eu não me recuso a assumir. Mas hoje a vez é do prefeito atual que é a reeleição”, respondeu.

Comentários

comentários