Após 13 anos, laboratório confirma primeiro caso de raiva em Feira de Santana

Com informações do M1 ( Foto: Reprodução)

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) confirmou esta semana que o cão que mordeu uma criança em novembro deste ano, no município de Feira de Santana, estava contaminado pela raiva animal. O caso aconteceu no bairro Baraúnas e a criança já recebeu três doses da vacina, além do soro antirrábico. Ela já recebe acompanhamento médico no Centro de Saúde Especializado Dr. Leone Coelho Leda e no Hospital Estadual da Criança.

De acordo com a coordenadora do Centro de Zoonoses, Mirza Cordeiro, é a primeira vez em 13 anos que um caso de hidrofobia é registrado na cidade. Segundo ela, a contaminação se deu através da mordida de um morcego no animal de estimação da família. “O último caso de raiva canina havia sido em 2004. Era um cão domiciliar, que era vacinado pela proprietária”, informou.

Após a confirmação, equipes do Centro de Controle de Zoonoses estiveram na localidade onde o animal foi contaminado, fez o bloqueio de foco em todo o quarteirão e imunizou 68 cães e gatos. O trabalho continua nesta quarta-feira (14) e, além da vacinação no raio de 5 km a partir do local onde ocorreu o caso, o CCZ trabalha na identificação de possíveis colônias de morcegos na região.

Em caso de mordida de cachorro ou gato, o Ministério da Saúde recomenda que as pessoas procurem logo um posto de saúde para tomar a vacina contra a raiva. São aplicadas até cinco doses, a depender do caso. Os sintomas da doença em humanos incluem febre, dor de cabeça, salivação excessiva, espasmos musculares, paralisia e confusão mental.

Comentários

comentários