Portais de abordagem reduz índices de violência durante Carnaval, afirma secretário

Foto: Ascom/SSP-BA

O Carnaval da Bahia, que terminou na manhã desta quarta-feira (14) sem qualquer registro de morte ou tentativa de homicídio, de acordo com o balanço divulgado nesta quarta-feira (14), pela Secretaria de Segurança Pública do Estado. A pasta informou durante coletiva no Hotel Sheraton, na capital, que as ações de segurança seguiram conforme planejado e que os portais de abordagem ajudaram a reduzir os índices de violência na festa. “Tudo aquilo que nós nos propusemos a fazer, nós conseguimos. Os portais foram um divisor de águas dos Carnavais. Desde que foi criado, em 2016, houve uma queda abrupta dos registros e este ano encerramos a festa sem homicídio e sem disparo de arma de fogo no circuito”, afirmou o secretário Maurício Barbosa.

Ele destacou a atuação das Polícias Civil e Militar durante os dias da festa.  “Nós devolvemos esses recursos em forma de resultados. A aprovação da atuação da Polícia Militar no circuito foi de 84,3%, da Polícia Civil de 95,9%, da Polícia Técnica de 79,5% e dos Bombeiros de 97%”.

Lesões

Comparando os índices de 2011 aos de 2018, o crime de lesão corporal caiu em 55,4%, passando de 222 para 99. Já os crimes contra o patrimônio (roubos e furtos), em 2018 foram 764 ocorrências contabilizadas, contra 919 no ano passado, representando, queda de 16,9%. Em relação a 2011 (968 x 764), a redução alcança a marca de 16,9%.

Portais de abordagem

Mais de 1,5 milhão de foliões foram revistados nos portais de abordagem, nos 42 acessos, distribuídos nos principais acessos. Detectores de metal, body worns (câmeras acopladas nas fardas) e cães farejadores ampliaram a eficiência das abordagens, resultando em 494 objetos cortantes apreendidos, 233 foram consideradas armas brancas.

Ao longo dos dias de festa foram conduzidas 2.164 pessoas, sendo 55 presas em flagrante. Quatro armas brancas foram apreendidas em abordagens dentro dos circuitos e geraram ocorrências policiais nas unidades judiciárias.

Entre os flagrantes, quatro prisões foram de violência contra a mulher, crime que também gerou seis conduções aos postos da Polícia Civil, e mais de três mil abordagens pela Operação Ronda Maria da Penha nos dias de festa. Ainda no campo da produtividade, as forças de segurança retiraram das ruas porções de drogas (maconha, cocaína e crack), tubos de lança perfume, comprimidos de ecstasy, entre outros entorpecentes, além de conseguir reduzir em 60% os índices de roubo a ônibus na cidade, no período.

 

Comentários

comentários