Camaçari: Polo industrial comemora 40 anos e reúne empresários na FIEB

Com informações do Bahia Econômica ( Foto: Reprodução)

O polo de Camaçari iniciou hoje, em evento realizado na Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), as comemorações pelos seus 40 anos. Estiveram presentes na cerimônia representantes de Dias D’Ávila, Camaçari, empresários baianos além de representantes da Fieb.

Roberto Fiamenghi, diretor da Fieb, acredita que nos últimos anos o polo de Camaçari tem muito a comemorar. “Nós conseguimos muitas vitórias nos últimos 10 anos no polo. Se você pensar conseguimos duplicação de estradas, conseguimos reduções de ICMS, dentre outras vitórias. Olhamos para frente e esperamos ainda mais conquistas nos próximos anos”.

Mauro Pereira, diretor do Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic), afirmou que o principal alicerce de pensamento do projeto Cofic é o planejamento estratégico para o futuro. ” Nós temos que pensar em quais as oportunidades que o polo tem para ampliar seu crescimento. Temos grandes empresas, empresas de ponta, que estão alocadas no polo e que estão, buscando o crescimento. Por isso temos que colocar o planejamento em pauta para criar as condições de crescimento da indústria no estado. Esse é um trabalho de longo prazo e que já está sendo feito, com apoio do governo do Estado.

Breno Costa, diretor executivo da prefeitura de Dias D’Ávila, afirmou em entrevista à imprensa, que o polo de Camaçari representa muito para economia da região. “O polo hoje representa muito para economia de Dias D’Ávila. Nós temos uma grande rede de empresas formadas no entorno do polo que vivem e movimentam a economia da região. Por isso eventos como esse que focam no planejamento estratégico, são fundamentais para região”

Já Marcone Andrade, da Proindustrias, exaltou as conquistas do polo nos últimos anos, porém cobrou mais investimentos em infraestrutura para a produção. “Existe uma defasagem grande em infraestrutura para a produção industrial da Bahia. Falta portos, falta estradas de qualidade, os custos são altos, e isso atrapalha a indústria crescer e novos investimentos chegarem, o governo do Estado está trabalhando duro para resolver a questão porém ainda necessita de investimentos nesse setor”.

Comentários

comentários