Ex-presidente da Petrobras participa de sessão especial sobre a refinaria

O ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, participou, na manhã desta quarta-feira (25), da sessão especial da Câmara de Vereadores de Candeias, que discutiu a situação da Refinaria Landulpho Alves (RLAM). A Petrobras anunciou no último dia 19, que vai colocar à venda até 60% da unidade petrolífera, localizada em São Francisco do Conde, na região metropolitana de Salvador.

Na avaliação de Gabrielli, a venda causará impacto na economia dos municípios por conta da arrecadação de ICMS e dos royalties. “No que se refere, no entanto, ao ajuste de custo da refinaria, é provável que vínculos existentes com empresas sejam rompidos, com a criação de novos canais de fornecimento ligados ao grupo que adquirir o controle da refinaria. Vamos ter uma perda de ICMS na região o que vai atingir, portanto o fundo de participação dos municípios. A atividade de petróleo, diretamente, a medida que houver uma redução na transição para o novo sócio, isso também vai provocar, a curto prazo, a redução dos royalties”, explicou Gabrielli, em entrevista a Rádio Baiana FM.

Ele disse ainda que a nova política econômica para os ajustes financeiros da empresa deveria ser feito a longo prazo. “Nada é a curto prazo. No entanto, a Petrobras fez uma opção que ao meu ver é um erro de resolver os problemas financeiros a curto prazo. Ela optou para ajustar os seus indicadores financeiros em dois anos, até em 2019. Ao fazer essa opção não resta outro caminho do que se desfazer de ativos”.

“As diretorias atuais não querem acabar com a Petrobras, mas ela tem uma visão administrativa que, ao meu ver, substitui uma visão de longo prazo que é necessário para a indústria do petróleo. Nada do petróleo ocorre a curto prazo”.

Em 2013, aproximadamente 109 milhões de barris de derivados eram processados na Rlam, de acordo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). No ano passado, foram pouco mais de 76 milhões. A Rlam é responsável por 20% da arrecadação de Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do estado.

A sessão contou com a presença dos vereadores, do vice-prefeito de São Francisco do Conde, Carlos Alberto (Nem do Caípe) e de representantes do Sindipetro.

Comentários

comentários