Greve dos caminhoneiros provoca falta de combustível em postos

    Mais de 50% dos 2,8 mil postos de combustíveis da Bahia estão sem gasolina e etanol nesta quinta-feira (24), em decorrência da greve nacional dos caminhoneiros, segundo o Sindicato dos Combustíveis, Walter Tannus. Cerca de 25% e 30% dos estabelecimentos da cidade estão sem gasolina e etanol.

    “Desde segunda [quando os protestos começaram] que os postos não têm os pedidos de combustíveis atendidos. Recebeu pouco ontem [quarta] e hoje (quinta) quase nada. Com isso, em Salvador, a situação se agravou bastante”, explicou o presidente do Sindicombustiveis, Tannus.

    Isso acontece porque os caminhões carregados com combustível são impedidos de passar nos bloqueios das rodovias, que acontecem em todo país. Os caminhoneiros estão em greve há quatro dias e protestam, em todo o país, contra a alta no valor do diesel.

    Os bloqueios acontecem na BAs-522 e 523, no Trevo da Resistência, em São Francisco do Conde. Outra manifestação acontece na BR-324, no município de Amélia Rodrigues, com o tráfego fluindo pela faixa esquerda, com bloqueio para caminhões e carretas. Em Salvador, a paralisação ocorre no km-613, na altura do bairro de Valéria. Uma fila da caminhões está parada às margens da pista, nos dois lados. Apenas carros e ônibus são liberados para passagem. As manifestações são também realizadas na Via Parafuso BA-535, na altura do KM-10, em Camaçari.

    Além da falta de combustível, a mobilização dos caminhoneiros tem causado também o desabastecimento nas cidades. Em Simões Filho, o Centro de Abastecimento (Ceasa) já começa a ficar sem produtos. 

    Eles reclamam das sucessivas altas nos preços do diesel. A Petrobras anunciou a redução de 10% no valor do combustível nas refinarias por 15 dias, contudo os caminhoneiros afirmam que isso não resolve o problema.

    O presidente da Associação Brasileira de Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, afirmou que a paralisação dos caminhoneiros somente será suspensa se o Senado Federal aprovar o projeto que elimina a cobrança de PIS/Cofins sobre o diesel até o fim do ano e o presidente Michel Temer sancionar o projeto e publicá-lo no Diário Oficial da União.

     

    Comentários

    comentários