Festa da África e shows de reggae marcam programação do Pelourinho

Foto: Assessoria de Comunicação - SecultBA

Diversas atrações vão movimentar os largos do Pelourinho nos próximos dias. Entre os destaques, a ultima edição do projeto Sons de Liberdade, com shows gratuitos de Badaró Jambrass e Leo Bazico. O forró também anima a semana em duas edições do projeto ‘Aquecendo a Fogueira’, com shows do cantor Virgílio e da banda Flor do Cangaço. Ainda nos embalos do reggae, mas numa com o hip-hop, que homenageia o ritmo jamaicano, a última edição do projeto Bob Marley Vive será comandada pelo rapper Makonnen Tafari.
A sexta-feira (25) começa com dois eventos gratuitos para o público. Às 20h, no Largo Pedro Archanjo, tem o África Day, evento que celebra o Dia Mundial da África e apresenta o cantor Dionorina, veterano da música reggae, como atração principal. A festa tem a participação especial do DJ Fábio Lima, de Angola, Rony Blastoyse, de Cabo Verde, além de Nara Couto, Kamapheu Tawá, Edy Vox, entre outros convidados.
Outro show desta sexta (25) fica por conta do cantor Virgílio, no projeto ‘Aquecendo a Fogueira’. O artista, que é um dos representantes do forró na Bahia, se apresenta às 21h, no Largo Quincas Berro D’Água.
Fim de semana
O ‘Pelô Canta o Nordeste’ é o nome do evento que anima o sábado (26), com show da Banda A, às 19h no Largo Pedro Archanjo, aberto ao público. No Largo Quincas Berro D’Água acontece mais uma edição do ‘Aquecendo a Fogueira’, com show da Banda Flor do Cangaço, às 21h, gratuitamente.
Ainda no sábado (26), o palco do Largo Tereza Batista reúne Radio Mundi & Pedro Pondé na terceira edição do projeto ‘Sons Daqui’. Pondé mostrará sua música pop brasileira, de poesias simples e sinceras, inspiradas no olhar sobre o cotidiano. Já o grupo Radio Mundi conecta diversos gêneros musicais, desenvolvendo colagens poéticas e sonoras. O encontro será às 20h30 com ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).
A festa no domingo (27) começa com o evento Xibikada Fest. A banda Xibikada reúne diversos convidados. Entre os destaques, Banda Negros de Fé, Fora da Mídia, Pagode do Igor, Grupo Movimento, Samba Trator, entre outros nomes do samba e pagode baiano. A banda Xibikada ainda promete ao público uma atração surpresa. A festa acontece das 13h às 21h, no Largo Quincas Berro D’Água, com camisa a R$ 20,00.
Também neste domingo (27), Nelson Rufino segue com a segunda edição do ‘Samba da Bahia Convida’, com a participação de Márcia Short, Movimento, Bambeia, além do anfitrião da festa. A abertura do evento fica por conta do Samba Bossa. Os amantes do samba podem chegar ao Largo Pedro Archanjo às 16h, com ingressos a preço único (R$ 10). Já às 17h tem Forró Passa Pé, animando o Largo Tereza Batista, com show aberto ao público.
Terça-feira 
A terça (29) segue animada com três eventos gratuitos para o público. O primeiro deles é Samba Trator, com a já tradicional festa no Largo Pedro Archanjo, que traz convidados especiais a cada edição. O evento começa às 19h e é aberto ao publico. A banda A Mulherada se apresenta às 21h, no Largo Quincas Berro D’Água, com shows de Cauane Bastos, Daniela Lessa, Jô Santê e a participação de Lia. A entrada é gratuita.
Também às 21h, no Largo Tereza Batista, tem o encerramento do projeto ‘Sons de Liberdade’. Abrindo a noite, Badaró Jambrass alia no repertório a cultura baiana com a cultura jamaicana e mistura com samba, reggaeton, dancehall, funk music, zouk, entre outros estilos. O artista convida Prince Addamo e Milan Gordilho.
Em seguida, às 22h30, quem sobe comando o palco é o regueiro Léo Bazico, que apresenta no repertório as famosas canções de Bob, além de músicas autorais e de artistas como Tim Maia, sempre com a sonoridade da música reggae.  O show terá as participações de Aladin, Nação Mestiça e Gabi Fróes.
Encerrando o mês de maio, o reggae vai de encontro ao rap, com shows de Makonnen Tafari e Kainna Tawa, Família 4e15, Biel Gomes e Família BTB, na última edição do projeto ‘Bob Marley Vive’. O show será no Largo Tereza Batista, às 19h. A entrada é gratuita. A programação do Pelourinho tem apoio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac).

Comentários

comentários