Candeias: Bebê de quatro meses com problema cardíaco aguarda transferência para UTI

Uma bebê de 4 meses que sofre de um problema cardíaco, está internada no Hospital Ouro Negro, em Candeias, na região metropolitana de Salvador, há três dias aguardando transferência para um hospital especializado em Salvador. A paciente, Helloá de Oliveira Santana, foi diagnosticada com cardiopatia e necessita de uma cirurgia com urgência. “Ela está com cardiopatia. Ela está com o coração inchado e precisa de uma intervenção cirúrgica urgente”, disse o pai da criança, Aneilton Santana.

Uma liminar concedida pelo juiz da Vara Cível de Candeias, Leonardo Bruno Rodrigues do Carmo, na tarde de ontem (4), determinou a transferência imediata da paciente para uma UTI pediátrica. O tratamento será custeado pela Secretaria Municipal de Saúde que foi notificada pela justiça nesta sexta-feira (5). “Tenho aqui o documento onde ele responsabiliza o Estado na obrigatoriedade pela transferência da criança para uma Unidade de Terapia de Intensiva. Porém, o município de Candeias vai continuar com o processo de transferência dessa criança para uma rede participar, caso não se consiga uma vaga na rede do SUS”, informou a secretária de Saúde, Soraia Cabral.

“Já mandei uma pessoa fazer a cotação de uma UTI pediátrica em Salvador para a gente custear, caso não saia pelo SUS. Se a gente consegui que saia pelo SUS, ela vai para o SUS. Se não consegui, a gente já está se mobilizando”, ressaltou.

Segundo o interventor do Hospital Ouro Negro, Fábio Almeida, a transferência da criança já foi solicitada e estão aguardando a disponibilidade de vaga. “Essa criança já foi regulada. hoje pela manhã essa regulação já está atualizada. Além da inclusão do nome dessa criança no sistema de regulação, também é feito o contato direto da própria assistência do hospital e quando necessário também da Secretaria de Saúde junto dos órgãos do Estado para tentar agilizar esse processo, mas infelizmente é um processo que var depender da disponibilidade de vagas ainda pela rede do Estado da Bahia”, explicou o interventor.

 

Comentários

comentários