Deputado federal eleito defende carta aberta de candidatos à Presidência em favor da democracia

Após ser eleito deputado federal com 323.264 mil votos, o Pastor Sargento Isidório, do Avante, dá indícios que de pode se manter neutro no segundo turno. Em entrevista à Rádio Baiana FM, na noite desta terça-feira (9), o atual deputado estadual declarou que os candidatos à Presidência, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), defendam em carta aberta à população a permanência da Democracia, da Constituição e do respeito a família brasileira. “Quero ver a carta de um e de outro [Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT)] que não ameace a democracia, que não vai bulir na Constituição, para bulir nos direitos fundamentais dentro da nossa sociedade. A Constituição do Dr. Ulisses Guimarães, nas Diretas Já, não pode ser tocada e maculada, ao não ser com o consentimento do povo. Não vou brincar com a Democracia e com a família de Deus”, afirmou.

Ele disse ainda que os candidatos não podem aprovar ações que estimulem a violência, o aborto, as drogas e o armamento de civis. “O Brasil com tirano não combina nem com o PSL e o PT. Os dois tem que escrever cartas para que eu possa analisar”, finalizou.

Federalização das Polícias 

Segundo Isidório, a bandeira que será defendida em Brasília é a federalização das Polícias Civil e Militar. Ele argumenta que é necessário ter um trabalho de integração entre o governo federal e estadual e que a questão salarial da classe é um fator importante para melhorar a condição de trabalho dos policiais. “É só federalizar a Polícia Militar. Os estados não podem ficar com as polícias. Eles criaram o Ministério da Segurança Pública, mas esqueceram do principal: o salário. Governador de estado não tem como pagar o salário que o policial precisa ter. 70% dos recursos dos impostos vai para o governo federal. O governo federal é que tem que colocar recurso para mudar a vida salarial dos policiais civis e militares. Quando falo em federalização, não é só a PM é a Polícia Civil. É arrumar, é organizar junto com a PM”, ressaltou o deputado estadual.

Comentários

comentários