Temas sobre alimentação saudável e história da culinária baiana poderão ser tratados na rede municipal de Educação

Para garantir que crianças e adolescentes conheçam e valorizem as comidas típicas da Bahia bem como aprendam a se alimentar de maneira saudável, o vereador Joceval Rodrigues (Cidadania) propôs uma iniciativa para inserir de forma transversal na rede municipal de educação a abordagem de temas relacionados a educação alimentar e gastronomia. O texto já foi aprovado na Câmara Municipal e aguarda sanção do prefeito ACM Neto. Além de educar os jovens alunos a reconhecerem e valorizarem as raízes culturais refletidas na gastronomia, o projeto levou em conta dados do Ministério da Saúde. Segundo o órgão federal, a população da capital baiana está majoritariamente acima do peso: 53% dos habitantes estão com excesso de peso e outros 19,5% estão obesos. Para discutir a viabilidade nas escolas públicas de Salvador, Joceval Rodrigues se reuniu nesta segunda-feira (03) com o secretário de Educação, Bruno Barral. “A Bahia tem seus sabores próprios tornando-a diferente do resto do Brasil, e nossos jovens precisam conhecer e valorizar a identidade social e cultural do nosso povo baiano, em especial do soteropolitano. Estamos falando ainda de oferecermos uma visão sobre uma melhor qualidade de vida através de mudanças de hábitos de vida e, como a escola é um ambiente colaborador para formação de uma pessoa, ela também pode ter papel relevante na conscientização dos alunos sobre a importância de uma alimentação saudável. Nosso objetivo também é que esses alunos aprendam desde cedo os alimentos mais nutritivos e nocivos à saúde e sejam multiplicadores em suas casas, contribuindo para a qualidade de vida de toda a família”, justificou Joceval. O secretário de Educação, Bruno Barral, ressaltou a parceria de inovação entre o Executivo e Legislativo. “É muito comum vermos os indivíduos deixando para aprender o que é uma proteína ou carboidrato já na fase adulta da vida, o que deixa a saúde vulnerável por um tempo. Ações preventivas de saúde como essa traz um retorno a longo prazo para a sociedade. No futuro você consegue poupar verba com a saúde, ter cidadãos mais cuidadosos e longevos”, destacou. Joceval Rodrigues destacou ainda que estimular nas escolas o conhecimento sobre a cultura gastronômica local, destacando ainda o potencial que ela tem no turismo e na economia formal ou informal, pode ser ainda um “veículo de motivação” para o surgimento futuros novos empreendedores interessados em trabalhar promovendo suas raízes culinárias.

Comentários

comentários