Apartamento ‘bunker’ fica a 1 km de onde Geddel cumpre pena

Com informações do A Tarde ( Foto: Reprodução)

0

O apartamento no qual a Polícia Federal encontrou oito malas e seis caixas com R$ 51 milhões pertencentes ao ex-ministro Geddel Geddel Vieira Lima foi construído pela Silveira Empreendimentos, que tem entre os sócios Ana Vitória Silva Silveira, mulher de Silvio Antonio Cabral da Silveira que emprestou o imóvel ao amigo peemedebista.

O “bunker”, como definiu a PF, fica no apartamento 201 do Edifício Residencial José da Silva Azi, na Graça, e está localizado a cerca de um quilômetro da casa onde Geddel cumpre prisão domiciliar.

Na autorização de busca e apreensão assinada pelo juiz federal Vallisney de Souza Oliveira é dito que o apartamento pertence ao amigo de Geddel, Silvio Silveira. Mas o CNPJ 15.427.342/0001-60 do empreendimento Residencial José da Silva Azi SPE Ltda indica como sócios, além de Ana Vitória Silveira, Jorge Peton de Lima Azi, Pedro Neves Azi e JP Patrimonial Ltda.

Construtor e incorporador, Toinho, como é conhecido o empresário da Silveira Empreendimentos foi processado no caso de desvio de dinheiro da Empresa Baiana de Alimentos (Ebal), entre 2003 e 2006. Ele teria, junto com empreiteiros que realizaram serviços na estatal sem o devido processo licitatório, emitido notas ficais sem a descrição de serviços no valor de cerca de R$ 4 milhões.

Durante todo o dia foi grande a movimentação de repórteres e curiosos na frente do prédio da Graça. As malas e caixas com dinheiro foram levadas à sede da Polícia Federal, que procedeu a contagem das cédulas antes de levar o dinheiro a uma instituição bancária, não revelada pelas autoridades.

A equipe do Jornal A Tarde não conseguiu falar com o advogado de Geddel, Gamil Foppel, nem com o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB), irmão do ex-ministro, que abandonou a sessão que discutia a reforma política na Câmara, da qual é presidente, assim que soube da operação da PF.

No Congresso Nacional, o episódio repercutiu e foi motivo de bate-boca no plenário da Câmara entre os deputados Jorge Solla (PT) e Paulo Azi (DEM). O petista disse que o dinheiro encontrado pela PF serviria para Geddel financiar a campanha do prefeito ACM Neto (DEM) para governador em 2018. Azi, que é aliado de Neto, respondeu que o governador Rui Costa (PT) está sendo investigado pela PF, acusado de receber dinheiro de uma empreiteira em troca de serviços de campanha de uma agência de mídia digital.

Comentários

comentários