Comércio fecha após toque de recolher na avenida que liga Imbuí e Boca do Rio

Com informações do A Tarde/ Foto: Alberto Maraux- SSP/BA

0

Bandidos que supostamente fazem parte da facção criminosa do traficante Marcelo Batista dos Santos, o “Marreno”, morto na última quarta (9), decretaram um suposto toque de recolher na manhã desta sexta-feira (11), na avenida Jorge Amado, que liga a Boca do Rio ao Imbuí. Parte do comércio dos bairros não abriu as portas com medo da represália dos criminosos.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), um áudio teria circulado por meio do aplicativo WhatsApp determinando o fechamento das lojas da região. Diante da ameaça, alguns comerciantes decidiram não abrir.

A Polícia Civil investiga a origem do áudio e verifica se há ligação com a morte do Marreno. Para restabelecer a segurança nos bairros, o policiamento foi reforçado na avenida Jorge Amado. Viaturas da Polícia Militar (PM) são vistas circulando na região.

“Estamos aqui com diversas viaturas, inclusive uma Base Móvel e com apoio de outras unidades para garantir a tranquilidade para a população. Continuaremos com as nossas ações ostensivas contra a criminalidade”, ressaltou o comandante da 39ª CIPM, major Edson Lima.

Além dos policiais da 39ª CIPM, reforçam o policiamento também as Rondas Especiais (Rondesp) Atlântico, o Grupamento Aéreo e a Operação Apolo.

Centro de Convenções

Além do toque de recolher, a polícia também suspeita que o grupo ligado a Marreno teria ordenado o ataque a um ônibus nas imediações do Centro de Convenções. O coletivo foi incendiado na noite desta quinta, próximo ao final de linha. Ninguém ficou ferido na ação.

A polícia investiga o crime. Por conta do ataque, os rodoviários decidiram suspender a parada no final de linha. Eles circulam pelo bairro, mas sem parar neste ponto.

Comentários

comentários