Diante do cenário de instabilidade, PF emite carta aberta ao Congresso Nacional

Com informações do M1 ( Foto: Reprodução)

0

O diretor regional da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADFP) na Bahia, Rony José Silva,  comentou a suspensão da emissão de novos passaportes devido à insuficiência do orçamento no país. Ele lamentou o momento pelo qual passa a PF em termos de deficit e estrutura e falou sobre a carta aberta feita ao Congresso Nacional.

“Nós viemos alertando e sentimos que nunca fomos devidamente ouvidos pelo Congresso Nacional. E chegou a esse ponto. Nosso trabalho na PF é feito de forma abnegada, a estrutura está chegando ao ponto de castigar os funcionários. Nosso efetivo da PF é minúsculo, na operação lava jato, em seu auge, tínhamos apenas nove delegados, o que é um número muito pequeno. Nós tentamos ampliar as pessoas para a Lava Jato, hoje temos apenas quatro delegados em Curitiba, esses profissionais recebem uma diária de R$ 175 para pagar hotel e alimentação. Colegas chegam a ficar na casa de outros colegas.”

Segundo o delegado, eles divulgaram uma carta aberta ao povo brasileiro, pedindo apoio para autonomia da Polícia Federal.

É importante esse debate. Desde 2009 tem uma PEC [Proposta de Emenda à Constituição na CCJ [Comissão de Constituição e Justiça] da Câmara. O congresso não está com o viés positivo para com a PF. Nós precisamos do apoio do povo e da imprensa. Temos uma carta aberta ao povo brasileiro, para que as pessoas assinem essa carta aberta o povo brasileiro para a autonomia da PF”.

Leia aqui a carta na íntegra

Comentários

comentários