Eleições no Bahia: corrida presidencial do clube define quatro candidatos

Com informações do A TARDE ( Foto: Reprodução)

0

Três chapas que concorrerão à presidência do Bahia deixaram para se inscrever no último dia do prazo estabelecido pela comissão eleitoral do clube para as eleições do dia 9 de dezembro, na Fonte Nova, para o triênio 2018/2020.

Assim, a ‘Mais um, Baêa’ (presidente: Abílio Freire/vice: Virgílio Elísio), a ‘Voltar a Sorrir’ (presidente: Fernando Jorge Carneiro/vice: Antônio Tillemont) e a ‘Bahia 3.1’ (presidente: Guilherme Bellintani/vice: Vítor Ferraz) se juntam à ‘Bahia Campeão dos Campeões’. Esta já havia se inscrito antes, encabeçada por Flávio Alexandre (o torcedor folclórico Binha de São Caetano) e com José Luiz Castro (o Zé Tricolor) como vice.

Para a eleição proporcional do Conselho Deliberativo entraram na corrida oito chapas: ‘Nova Ordem Tricolor’, ‘Revolução Tricolor’, ‘100% Bahêa’, ‘Bahia Clube do Povo’, ‘Independente Tricolor’, ‘Somos a Voz do Campeão, Somos +Bahia’, ‘Simplesmente Bahia’ e ‘Sou Bahia’.

Estas foram as chapas que se garantiram na eleição com a entrega de documentos de forma presencial. Até o fim do dia desta sexta-feira, 3, seria possível que outras registrassem candidatura via e-mail, o que só poderá ser confirmado neste sábado, 4.

Agora, a comissão eleitoral passa ao processo de conferência de documentos e, se for o caso, abre prazo até o próximo dia 9 para que hajam adequações. Os dias 10 e 11 podem apresentar impugnações, e aí os candidatos têm até 14 de novembro para se defender. Possíveis substituições têm de ser resolvidas até o dia 17.

Os presidenciáveis

A chapa que representa a continuidade da atual gestão é aquela capitaneada por Guilherme Bellintani, que deixará oficialmente o cargo de secretário municipal de Desenvolvimento e Urbanismo na segunda-feira.

Bellintani faz parte do grupo Simplesmente Bahia, responsável por indicar Marcelo Sant’Ana três anos atrás. Ele terá como vice Vítor Ferraz, atual diretor jurídico e membro da Revolução Tricolor, representada nesta gestão pelo vice-presidente Pedro Henriques. Este encabeça a chapa da Revolução Tricolor concorrente ao Conselho, que tem Sant’Ana como 31º nome.

Na oposição, as chapas têm nomes bastante conhecidos. Fernando Jorge, do grupo Associação Bahia Livre, pleiteia a presidência com Antônio Tillemont, do Integridade Tricolor, como vice. Ambos já foram candidatos ao cargo máximo do clube, sempre derrotados.

Advogado, Abílio Freire tenta assumir o comando do Esquadrão trazendo ao seu lado Virgílio Elísio, ex-presidente da Federação Bahiana de Futebol (FBF) e ex-diretor de competições da CBF.

Uma parceria entre torcedores folclóricos fecha o cenário de disputa. Binha de São Caetano já havia se candidatado em 2014, ficando no último lugar com 14 votos.

Comentários

comentários