SSP registra primeiros casos de importunação sexual durante a folia

Foto: SSP/BA

Conversas maliciosas e toques sem autorização levaram às primeiras conduções por importunação sexual durante Carnaval de Salvador, na madrugada de sexta-feira (21), de acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP/BA). Um homem e um adolescente foram encaminhados por guarnições da Polícia Militar para postos da Polícia Civil, localizados em dois circuitos oficiais da festa.

Segundo a SSP/BA, um dos casos aconteceu dentro de um dos principais camarotes da folia, no circuito Dodô. Durante depoimento, no posto da Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) da Barra, a vítima informou aos policiais que, enquanto aguardava o marido sair do banheiro, foi surpreendia pelo adolescente que tentou beijá-la de forma forçada.

“Quando o acompanhante dela percebeu que o rapaz tentava agarra-la, partiu para as agressões físicas. Os seguranças do camarote logo tentaram apartar a briga e acionaram os policiais”, explicou a coordenadora das Delegacias Especializadas, delegada Claudenice Teixeira Cerqueira Mayo.

A delegada ainda informou que o outro caso ocorrido durante a festa aconteceu no circuito Osmar, próximo Relógio de São Pedro. “A vítima nos explicou que a confusão começou quando o homem tentou assediá-la. Na mesma hora o companheiro da vítima tentou contê-lo, mas ele acabou agredindo os dois”, contou. Ele foi encaminhado para o posto da Central de Flagrantes, localizado na Piedade.

Não é Não

Em vigor desde o ano de 2018, a Lei de Importunação Sexual (13.718/18) criminaliza qualquer assédio sexual praticado por qualquer pessoa do mesmo gênero ou não. “Durante a folia, qualquer mulher que se sentir incomodada, pode procurar ajuda de algum policial que esteja por perto. A Polícia Civil está à disposição durante todo o carnaval, no apoio as mulheres”, concluiu Mayo.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) reforça que, durante a folia, equipes do Batalhão de Choque (Bchoq) e da Operação Ronda Maria da Penha (ORPM) da Polícia Militar estarão em patrulha, fortalecendo o combate a violência contra a mulher, bem como equipes da Polícia Civil, com a distribuição de panfletos e a campanha do ‘Eu respeito o seu não’.

Comentários

comentários