Toffoli propõe a Bolsonaro pacto institucional sobre “desafios imediatos”

FOTO: G.Dettmar/Ag.CNJ

FOTO: G.Dettmar/Ag.CNJ

Os poderes da República devem dialogar na busca de soluções para os três “desafios imediatos” do país, afirmou nesta quarta-feira (7) o presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, ao receber pela primeira vez a visita do presidente eleito, Jair Bolsonaro, na sede do STF, em Brasília. Em um breve pronunciamento à imprensa após o encontro reservado entre as duas autoridades, o ministro afirmou que a Reforma da Previdência, a questão fiscal e a segurança são os temas centrais que o Brasil terá de enfrentar prioritariamente nos próximos anos.

Dias Toffoli propôs que os representantes dos poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário – se unam em torno de um pacto republicano que aborde essas questões. “Tenho dito de maneira pública que o país tem três desafios imediatos a vencer: a questão previdenciária, a questão fiscal e a segurança pública. Da parte do STF, estamos abertos a este diálogo institucional para estabelecermos um pacto republicano, como já houve no passado e que trouxe leis benfazejas”, disse o presidente do STF.

O ministro  defendeu à atualização das leis anticorrupção, aprovadas pelo Congresso Nacional ao longo da última década, segundo o ministro, depois de um pacto firmado pelas autoridades máximas dos três poderes. “As leis que tratam da corrupção foram frutos de pactos assinados entre os presidentes da República, do Supremo Tribunal Federal, da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Por isso esse diálogo é fundamental. Essas leis, que antes eram projetos, transformaram o Brasil”, lembrou Dias Toffoli.

Bolsonaro

Também à saída do encontro com Toffoli, o presidente eleito Jair Bolsonaro sinalizou que adotará o trabalho em conjunto como método para vencer os problemas nacionais. “No momento que o Brasil atravessa, devemos trabalhar cada vez mais em conjunto. Nenhuma pessoa sozinha vai salvar nossa pátria, mas uma equipe, a união de autoridades, juntamente com seu povo, tem como oferecer alternativas de modo que o Brasil possa ocupar o lugar de destaque que merece no cenário mundial”, disse.

Bolsonaro afirmou que recorrerá à ajuda do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, durante o seu mandato, principalmente na discussão de alterações legislativas. “Pode ter certeza vossa excelência que muitas vezes, antes de tomar iniciativa, o procurarei para que se possa aperfeiçoar a ideia e para que de forma mais harmônica ela siga seu curso natural no Parlamento”, disse o deputado federal.

O presidente eleito afirmou também considerar as três problemáticas enunciadas por Dias Toffoli como prioritárias para o país. “Nós não podemos errar. O nosso povo tem problemas. Nós temos, sim, como o senhor bem disse, que solucionar o mais rápido possível a questão fiscal, a questão previdenciária e aquela que bate todo dia à porta de muitos brasileiros, a questão da segurança. Juntos buscaremos soluções para o Brasil e trazer a felicidade que nosso povo tanto merece”, afirmou o presidente eleito.

Comentários

comentários