Mubadala Capital assume controle da Refinaria de Mataripe, em São Francisco do Conde

O Mubadala Capital e a Petrobras concluíram na tarde desta terça-feira (30), a transferência do controle da Refinaria de Mataripe,anteriormente denominada Landulpho Alves (RLAM) para a Acelen. Firmado em março deste ano, o contrato de venda e a transferência foi concluído após o cumprimento das condições precedentes previstas.

Criada pelo Mubadala Capital para a operação, a Acelen assumirá a gestão da refinaria a partir de 1º de dezembro, a gestão da Refinaria de Mataripe e seus ativos logísticos relacionados. A empresa continuará a abastecer o mercado de derivados de petróleo regional e assume o compromisso de fomentar investimentos.

“Esta nova fase trará oportunidades de crescimento e mais investimentos para que a refinaria aumente a sua capacidade e diversifique a sua produção. O nosso objetivo é criar valor. É gerar uma concorrência positiva para atender o mercado local e beneficiar a sociedade”, destaca Oscar Fahlgren, presidente do Mubadala Capital no Brasil.

A Acelen tem capacidade de processar mais de 300 mil barris de petróleo por dia, o que corresponde a 14% da capacidade total de refino do Brasil. Adicionalmente, a Acelen é responsável pela maior produção industrial da Bahia, e responde por uma parte significativa da arrecadação de impostos.

“A Refinaria de Mataripe tem uma ligação histórica com a Bahia e temos orgulho deste legado. Vamos investir e trabalhar para modernizar os processos e aumentar a capacidade de produção, gerando novas oportunidades e fortalecendo toda a cadeia produtiva do petróleo”, afirma Luiz de Mendonça, CEO da Acelen.

Segundo a empresa, a Petrobras e Transpetro prestarão serviços relacionados à operação da refinaria e seus ativos logísticos para garantir uma transição sem risco de rupturas. “Nos últimos meses, a Acelen se preparou para essa transição, mapeando todos os processos operacionais e toda a cadeia de abastecimento. A empresa valoriza a experiência dos colaboradores da Petrobras, e espera contar com todo o time que está na linha de frente da operação após o fim do contrato com a Petrobras”, diz Luiz de Mendonça.

Localizada no distrito de Mataripe, em São Francisco do Conde, na Região Metropolitana de Salvador (RMS) e inaugurada em 1950, a RLAM foi a primeira refinaria nacional, e representa um marco econômico e industrial no país. Atualmente é segunda maior do Brasil, com a maior capacidade instalada para produção de gasolina, diesel e outros derivados de petróleo das regiões Norte e Nordeste.

São 26 unidades de processamento, quatro terminais e 201 tanques de armazenamento, além de 669 quilômetros de dutos que interligam a refinaria com os terminais portuários. A unidade produz mais de 30 produtos, entre eles diesel, gasolina, querosene de aviação (QAV), asfalto, nafta petroquímica, gases petroquímicos (propano, propeno e butano), parafinas, lubrificantes, GLP e óleos combustíveis (industriais, térmicas e bunker).

Mubadala Capital é a subsidiária de gestão de ativos da Mubadala Investment Company, um investidor soberano global com sede em Abu Dhabi. Além de gerir seu próprio portfólio de investimentos, o Mubadala Capital administra US$9 bilhões de capital de terceiros em nome de investidores institucionais em todos os seus negócios, incluindo dois fundos no Brasil focados em special situations, três fundos de private equity, dois fundos de venture capital com foco em companhias em early stage, e um fundo com investimentos em ativos líquidos

Comentários

comentários