Suspeito de participar da morte de jovem no Planeta dos Macacos é solto após dois meses

O suspeito de matar a estudante Jamile Sanches Araújo, no Planeta dos Macacos, em São Cristóvão, em outubro do ano passado, foi solto por determinação da Justiça. A informação foi revelada pela mãe da jovem de 18 anos, nesta quinta-feira (13), em entrevista ao Balanço Geral. O homem passou apenas dois meses preso.

O inquérito está sob análise do Ministério Público da Bahia e corre em segredo de Justiça. Segundo a mãe de Jamile, o suspeito teria sido solto, pois a promotora não aceitou o laudo cadavérico.

“Eu o vi, eu reconheci ele. Ele atirou pra cima, atirou atrás do veículo e pegou na minha menina. Ele gritou pra meu marido: ‘pare, vagabundo! Eu não mandei você parar?’. Por conta de uma carona, uma boa ação minha, porque eu sempre fiz isso, aconteceu isso [perdeu a filha]”, disse a mãe ao Balanço Geral.

Ela destacou que, em nenhum momento teve acesso ao laudo cadavérico. Os pais de Jamile não têm advogado. “Estávamos acreditando na Justiça. Se não tivesse ligado para saber [sobre o andamento do processo], ia continuar achando que ele estava preso”, criticou.

A mulher contou que outras três pessoas participaram da ação que vitimou Jamile no dia 27 de outubro. “Se todos estavam, todos têm que pagar porque participaram. Não tenho medo de botar minha cara. Prometi à memória da minha filha que, enquanto estivesse viva, iria lutar por justiça”, pediu.

Comentários

comentários