Anvisa diz que não existem provas que sustentem o não uso da vacina da Pfizer em adolescentes

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou, nesta quinta-feira (16), que não existem provas que sustentem a orientação do Ministério da Saúde para que não seja feita a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades. A agência afirmou que a morte da menina de 16 anos, no Estado de São Paulo, depois de ter se imunizado contra a Covid-19 não é suficiente para associar a vacina ao óbito.

Segundo o jornal O Globo, a Anvisa vai marcar um encontro com representantes da Pfizer para investigar o caso. Ainda nesta quinta (16), mais cedo, o Ministério da Saúde revogou a recomendação de vacinação de adolescentes por causa de eventos adversos que estariam associados ao imunizante.

 

 

Bnews

Comentários

comentários