Responsáveis por blocos e camarotes devem divulgar faixa etária dos eventos em local visível

O Ministério Público estadual recomendou aos responsáveis por festas privadas, blocos e camarotes do Carnaval de Salvador que afixem, em lugar visível e de fácil acesso, na entrada do local do evento, informação sobre a natureza e a faixa etária dos eventos. A recomendação foi expedida pelos promotores de Justiça Moacir Nascimento, Márcia Rabelo Sandes, Anna Kristina Prates, Dario José Kist, Áviner Santos, Karine Espinheira, Luscínia de Almeida e Luiz Alberto Figueiredo.

No documento, os promotores de Justiça recomendam também que sejam colocadas informações sobre classificação indicativa no material publicitário e nos perfis de redes sociais vinculados aos eventos; que sejam observados os padrões de tamanho, cor, proporção e posicionamento, e os critérios de clareza, nitidez e acessibilidade especificados no Guia Prático de Classificação Indicativa; e que os responsáveis pelos blocos, camarotes e festas privadas controlem o acesso ao local mediante apresentação de documento de identidade com fotografia tanto por crianças ou adolescentes, quanto pelos seus pais ou responsáveis legais, vedando o acesso aos eventos no caso de falta de documentação ou dúvida quanto à sua autenticidade.

Comentários

comentários