Vitória empata com o Vasco no Maracanã, mas não sai do Z4

Com informações do Correio da Bahia ( Foto: Reprodução)

0

O último refúgio do Vitória para escapar da zona de rebaixamento continua firme e forte. São exatos três meses e 20 dias sem o Leão perder fora de Salvador na Série A, marca que só fez aumentar neste domingo (5), com um empate em 1×1 no sufoco com o Vasco, no Maracanã.

O ponto conquistado no Rio de Janeiro por pouco não tirou o Vitória da zona de rebaixamento. O rubro-negro saiu de campo fora do Z4, mas o empate do Sport em 1×1 com a Chapecoense, aos 49 minutos do 2º tempo, derrubou o Leão para o 17º lugar.

Com 35 pontos, o Vitória tem um a menos que o time pernambucano, atual 16º colocado. O lado positivo é que, com o pontinho conquistado, o time baiano ultrapassou Ponte Preta e Avaí, derrotadas por Bahia (2×0) e Coritiba (4×0), respectivamente, nesta rodada.

A permanência da invencibilidade, no entanto, não veio acompanhada por uma boa atuação do Vitória. A equipe viu-se no pior cenário possível muito cedo: com apenas 9 minutos de jogo, o time carioca abriu o placar.

Foi numa jogada ensaiada, com Nenê cobrando falta da esquerda e Breno desviando no segundo pau. Kanu, no mano a mano na marcação, não teve a menor chance.

Pior cenário porque o duelo prosseguiu como todo torcedor teme: com o Vitória dominando a posse de bola e tendo que propor o jogo.

O Leão mostrou a habitual dificuldade em criar jogadas. Neilton, sem dúvidas o atleta com mais capacidade técnica do time, mais uma vez participou pouco no meio-campo.

O Vitória só conseguia rolar a bola pelas laterais. A direita, com Patric e Yago, foi a que mais funcionou. A primeira chance de gol surgiu por ali, aos 31 minutos: o meia partiu para cima da marcação e tocou para o lateral, na entrada da área, que chutou fraco para a defesa de Martín Silva.

Depois de tanto insistir na jogada, o cruzamento só funcionou aos 41 minutos. Patric lançou na área, Tréllez desviou e Juninho soltou a bomba na sobra. Silva fez uma defesaça

Veio a reação
O Vasco continuou não oferecendo qualquer perigo na etapa final. O Leão ocupava por completo o campo de ataque, ao ponto de Kanu avançar à área em alguns momentos para tentar o empate.

A alternativa de Mancini foi aquela que o torcedor já conhece bem: colocou André Lima no ataque na vaga de Ramon. No seu primeiro lance, aos 19 minutos, o centroavante fez vez de meia e achou David na área; de cara para Silva, o atacante chutou para fora.

Com quatro atacantes em campo, o ‘abafa’ do Vitória veio por meio de cruzamentos na área ou chutes de longe. Como já foi visto nos últimos jogos no Barradão, a tática surtiu pouquíssimo efeito.

Quem chegou perto do gol foi o Vasco. Aos 25, Andrés Ríos recebeu na entrada da área e chutou colocado; a bola bateu na trave.

O mais inacreditável é que o ‘chuveirinho’ do Vitória funcionou quando ninguém esperava mais. Já aos 46, Patric cruzou da direita e a bola passou por toda a zaga vascaína; André Lima matou no peito e fuzilou o gol.

A caminhada ponto a ponto do Leão segue na quarta-feira (8), contra o Palmeiras. O duelo desta vez será no Barradão, às 20h45 (da Bahia).

Comentários

comentários