Após mortes de PMs, Rui pede reforma no Código Penal e culpa política de armas do Governo Bolsonaro

O governador da Bahia Rui Costa (PT) lamentou, segunda-feira (13), a morte de dois policiais militares da Rondesp ocorridas neste fim de semana. Durante entrevista à Rádio Metrópole, o chefe do Executivo Estadual afirmou que é urgente e necessária a reforma no Código Penal brasileiro.

Além disso, ele também culpou a política de armas adotada no governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que segundo o governador, facilita o acesso de bandidos a armamentos pesados. “Vai mais uma vez a minha indignação, minha revolta com esse modelo jurídico criminal existente no Brasil. Eu não quero jogar culpa em cima do juiz, mas eu diria que a lei criminal brasileira precisa mudar rapidamente.

Não é possível, é inaceitável que a mesma pessoa seja presa uma, duas, cinco, seis vezes, muitas delas respondendo a crime de homicídio, e que eventualmente, aqueles que respondem pela condenação de homicídio, com um sexto da pena possam ter algum tipo de liberdade. Eu considero isso inaceitável”, disse o governador.

Na ocasião, Rui chamou de “atitude irresponsável” as medidas adotadas pelo presidente Bolsonaro que ampliam o acesso a armas de fogo e munições no país. “É visível e crescente o poderio de armas dos bandidos. Sei que alguém pode dizer que ‘só foi liberado, governador, para pessoas de bem’. O fato é que independentemente de quem compra, essas armas mais cedo ou mais tarde acabam chegando nas mãos dos bandidos.

E, hoje a gente, a polícia, tem que ir para rua para enfrentar bandido com fuzil, com equipamento sofisticado, e mesmo essas pessoas sendo presas, contratam escritórios fortes de advocacia, com base na lei, e essas pessoas são colocadas em liberdade. Fica aquela sensação de enxugar gelo”, disse o petista.

 

 

Bnews

Comentários

comentários